Sou professor da UEM e quero orientar um aluno no PIBITI. O que devo saber?


1. Qual a diferença entre PIBITI e PIBIC?

A dinâmica e procedimentos do PIBITI (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação) são exatamente iguais aos do PIBIC. A diferença está no conteúdo do projeto de pesquisa. Enquanto no PIBIC se busca gerar conhecimento novo a partir de descobertas, no PIBITI se utiliza desse conhecimento prévio de pesquisa para desenvolver (criar, inventar) um produto, processo ou serviço novo (ou melhorado) para o mercado.

O PIBITI tem por objetivo estimular os alunos do ensino superior nas atividades, metodologias, conhecimentos e práticas próprias ao desenvolvimento tecnológico e processos de inovação. Portanto, o conteúdo do PIBITI deverá envolver atividade de desenvolvimento voltada à produção de um novo produto, ao aprimoramento de um produto que já é comercializado, como também, à criação ou aprimoramento de um processo produtivo, como por exemplo, a realização de um mesmo processo utilizando-se de menos recursos, permitindo assim ganhos de eficiência em processos.

 

2. Qualquer professor pode ser orientador PIBITI? Quais são os requisitos?

Não, o professor deverá ser docente efetivo da UEM, possuir titulação de doutor e regime de trabalho não inferior a 40 horas. Além disso, deverá participar de projeto de pesquisa ou de extensão tecnológica institucional e de Grupo de Pesquisa cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq e localizado na UEM, possuir Currículo Lattes atualizado junto ao CNPq, não estar afastado para pós-graduação (Resolução nº. 191/2012-CAD) e nem inadimplente ou impedido de participar dos Programas Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Iniciação Científica, Pesquisa Docente e Pós-Graduação.

 

3. Possuo todos os requisitos, porém estou aposentado. Posso ser orientador PIBITI?

Sim, desde que seja apresentado na submissão do projeto Termo de Adesão ao Serviço Voluntário contemplando o período de vigência do Programa.


4. Sou professor visitante na UEM, posso ser orientador PIBITI?

Sim, desde que comprove permanência na Instituição durante o período de vigência do Programa.

 

5. No edital é exigido que seja anexado no SGP os documentos de comprovação da produção científica e tecnológica do orientador, porém não há um campo específico para isso. Onde devo anexar?

Antes de submeter o formulário do projeto no SGP, os documentos referentes à comprovação da produção científica e tecnológica do orientador deverão ser inseridos no formulário, no item 4.9. Após a realização dessa etapa, o orientador anexará o projeto no sistema, no momento em que for solicitado.

 

6. O que é o SGP?

SGP é a abreviatura de “Sistema de Gestão de Projetos”. É o sistema onde todos os projetos institucionais da UEM estão cadastrados, sejam eles PIBITI, PIBIC, PIC ou projeto de pesquisa institucional. O mesmo pode ser acessado no link http://www.sgp.uem.br:8080/sgpex/

 

7. Devo anexar meu Currículo Lattes, bem como os documentos referentes a toda a minha produção científica e tecnológica?

Não, somente dos últimos 5 (cinco) anos.


8. Qualquer aluno pode ser indicado no PIBITI?

Poderá participar do PIBITI o aluno da UEM que estiver regulamente matriculado e cursando a graduação, desde que seja selecionado e indicado pelo orientador.

Além disso, para participar do PIBITI o acadêmico deverá possuir Currículo Lattes atualizado junto ao CNPq e não poderá possuir grau de parentesco até o terceiro grau com o orientador, estar inadimplente ou impedido de participar do PIBITI ou do PIBIC, ou possuir mais do que 3 (três) reprovações no ano letivo anterior.

 

9. Posso orientar um aluno para o qual nunca ministrei aulas ou de outro curso?
Sim, desde que ele cumpra com os requisitos mínimos exigidos para o bolsista.

 

10. O aluno pode ter alguma disciplina sendo cursada em regime de dependência?

É possível sim que alunos com dependência participem do PIBITI, desde que não exceda 3 (três) reprovações no ano letivo anterior, porém ressaltamos a importância do aluno ter boas notas e cumprir com suas atividades acadêmicas para ter um bom resultado na pesquisa. Cabe a você, orientador, a escolha do aluno.

 

11. Quem é o responsável pela submissão do projeto? O aluno ou o professor?

O professor é quem deve realizar a inscrição e a submissão do projeto pelo SGP.

 

12. Como faço para submeter meu projeto no processo de seleção do PIBITI?

No período estipulado em Edital, você deverá acessar o site do SGP e realizar os procedimentos solicitados. Recomendamos a leitura prévia do Edital e do Regulamento antes de iniciar o processo de submissão.

 

13. Preciso indicar o aluno no momento da submissão do projeto?

Sim.

 

14. O aluno que já foi inscrito no processo de seleção do PIBIC pode ser inscrito no processo de seleção do PIBITI no mesmo ano?

Não é possível inscrever o mesmo aluno em mais de um processo de seleção no mesmo ano. O próprio sistema bloqueia a segunda inscrição.

 

15. O aluno que já possui bolsa PIBIC ou PIBITI pode concorrer a bolsas no edital do PIBITI do ano seguinte? Por exemplo, o aluno é bolsista no ciclo 2015/2016 e deseja participar do processo de seleção do ciclo 2016/2017, é possível?

Sim.


16. Para auxiliar no desenvolvimento do projeto, posso incluir um coorientador? E um pós-graduando? Sim, porém o coorientador deverá atender aos mesmos requisitos que o orientador, e sua inclusão poderá ser realizada até os seis primeiros meses de desenvolvimento do projeto. Com relação ao pós-graduando não é permitido sua inclusão, seja como coorientador ou participante..

 

17. Professor que já possui bolsa PIBIC poderá concorrer a novas bolsas no PIBITI?

Sim. São cotas independentes.

 

18. Tenho limite de quantidade de projetos que posso submeter no PIBITI?
Sim, o sistema aceita somente duas submissões por processo de seleção.

 

19. Caso eu submeta dois projetos no processo de seleção, como devo informar qual deles terá a preferência para o recebimento da bolsa?

Ao submeter os projetos no SGP o professor deve indicar no respectivo campo aquele que terá a preferência para o recebimento da bolsa. Ressaltamos que mesmo que você submeta apenas um projeto, deve indicar que este é o que terá preferência para receber a bolsa.

 

20. Quantas bolsas têm para cada curso?

O PIBITI da UEM não tem números de bolsas estipuladas por curso ou área.

 

21. Qual a diferença entre as bolsas fornecidas pelo CNPq, Fundação Araucária e da UEM?

As bolsas do PIBITI são concedidas anualmente pelo CNPq e pela Fundação Araucária (FA) para algumas Instituições do País e do Paraná, no caso da FA. Em contrapartida, a UEM oferece um número de bolsas, provenientes de recursos internos. Assim, temos três fontes pagadoras do mesmo programa: bolsistas CNPq, UEM e Fundação Araucária. Não há nenhuma distinção entre os bolsistas, além da conta para depósito que dependendo da fonte pagadora deverá ser em um determinado banco ou em outro.

 

22. Posso vincular o projeto PIBITI a um projeto de Mestrado ou Doutorado?
Sim. O projeto de Mestrado ou Doutorado, desde que aprovado pelos respectivos programas de pós-graduação, é considerado perante o PIBITI da UEM equivalente a projeto de pesquisa ou de extensão tecnológica institucional, porém nesse caso, você deve, antes de anexar o formulário do projeto no SGP, inserir documento que comprove o desenvolvimento do projeto de Mestrado ou Doutorado, juntamente com os documentos referentes à comprovação da produção científica e tecnológica do orientador (item 4.9 do formulário). Recomendamos que ele seja o primeiro dos documentos.

 

23. Indiquei um aluno no processo de seleção, mas o mesmo desistiu de participar da pesquisa antes de seu início. Como faço para substituir esse aluno?

O orientador deverá enviar um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. informando a necessidade de substituição e em seguida acessar o SGP e solicitar a troca do aluno, anexando o formulário de substituição disponível no site do NIT/UEM. Ressaltamos a obrigatoriedade de o novo aluno atender às exigências do regulamento.

 

24. Onde acompanho as normas que regem o PIBITI?

As normas se encontram em dois documentos complementares: o Regulamento e o Edital do Processo de Seleção. Ambos podem ser acessados na página do Núcleo de Inovação Tecnológica da UEM (http://www.nit.uem.br/index.php/pibiti), nos seus respectivos links, localizadas ao lado esquerdo da página.

Em parceria com NEJ/UEM, NIT realiza I Noite de Inovação Empreendedora

NIT participa de reunião de avaliação do Parque Virtual Tecnológico do Paraná promovida pelo TECPAR

Reitor entrega novas cartas patentes e certificados de registro

Em parceria com o INPI, NIT promove atividades em comemoração ao Dia Mundial da Propriedade Intelectual

Pesquisador do INPI ministra palestra em evento promovido pela PPG e NIT

 
Inaugurado o Parque Tecnológico "Maringatech"
 
Aulas do ProfNIT têm início na UEM
mpresários de Maringá e região visitam UEM
 
NIT promove palestra sobre Novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação
 
Coordenador de Ciência, Tecnologia e Inovação do Paraná visita NIT-UEM
 
Bolsistas PIBITI e membros do CIBITI da UEM participam do 5º EAITI
 
 
 Bolsista PIBITI da UEM integra equipe vencedora do Prêmio SINDUSCON Academia 
 
Premiação
 
Bolsista PIBITI da UEM é premiado por desenvolver espuma à base de sisal, bagaço de cana e casca de arroz
 
Bolsista PIBITI vence concurso nacional de superfície em imagens
 
NIT participa de Rodada de Inovação Tecnológica
 
Evento debate Desenvolvimento Tecnológico e Inovação
 UEM tem mais duas patentes concedidas pelo INPI

Entrega de Patentes e Registro de Software - INPILink para a reportagem

 

Fonte: Informativo de Articulação Setorial - Ano 4 - Edição 41, 30/06/2014

 

Pesquisadores da UEM garantem três registros de programas de computador

Fonte: Universidade Estadual de Maringá, 18/06/2014

 

Brasil ocupa penúltima posição em ranking de patentes válidas
Fonte: Jornal da Ciência, 5/05/2014

 

Evento de Inovação e Transferência Tecnológica

Fonte: Universidade Estadual de Maringá, 18/03/2014 

 

Pesquisa em ciência, tecnologia e inovação serão priorizados pelo governo

Fonte: Rotas Estratégicas - Biotecnologia Animal, 04/02/2014

 

UEM é a 14ª do País em inovação

Fonte: Informativo UEM - Nº 1059, 20/11/2013

 

 UEM e Marinha trabalham para tornar o Brasil autossuficiente na produção de combustível nuclear

 

Fonte: Paraná faz Ciência, 10/2013

 

UEM desenvolve pesquisa de tratamento alternativo para o câncer

 Fonte: RIC Mais Paraná, 13/09/2013

 

 

Joomla templates by Joomlashine